sexta-feira, 1 de julho de 2011

Quem é Jesus?

O Evangelho do próximo domingo nos questiona de uma forma muita incisiva. Jesus pergunta a Pedro: - Quem dizem os homens que Eu Sou? E depois pergunta para o próprio Pedro: - E tu, quem dizes que eu sou?

E Jesus continua nos fazendo essa mesma pergunta até hoje. Quem dizem os homens que eu sou? Quem é Jesus para nós? 

Neste artigo, Padre Inácio José do Vale nos ajuda a buscar esta resposta. Vamos conseguir respondê-la plenamente? Isto vai depender, ou melhor, depende de cada um e depende muito da fé que depositamos no Ressuscitado. Quer tentar responder? ...


* * * * * * *
  
Quem é Jesus?

Padre Inácio José do Vale, OSBM

“Jesus Cristo é o centro e o objeto de todas as coisas; aquele que não o conhece ignora a natureza e a si mesmo”. Blaise Pascal (1623-1662) Físico e Filósofo Francês

Já passaram mais de dois mil anos, a pessoa de Nosso Senhor Jesus Cristo ainda continua cercada de mistérios e controvérsias, apesar de inúmeros estudiosos, abissais pesquisadores que prosseguem se debruçando sobre a sua figura e a sua obra e dos bilhões de seguidores que Nele depositam a sua vida e sua fé em seus ensinamentos. No entanto, em pleno século XXI, vivemos uma vergonhosa realidade: poucos conhecem Jesus Cristo.

Para o ilustre escritor de biografia bíblica o pastor americano Charles R. Swindoll essa situação ficou ainda mais chocante depois de assistir um vídeo em sua igreja, no qual cristãos entrevistados em um shopping center local não sabiam responder a pergunta: Quem é Jesus? Por causa disso, ele tomou a iniciativa muito sábia de escrever o maravilhoso livro: “Jesus – O Maior de Todos”.

Swindoll em seu livro deixa muito claro que não só devemos conhecer Jesus, mas termos uma experiência profunda com Ele.

O autor americano Bill Mckibben disse que “os Estados Unidos são o país que mais se declara cristão e menos age como cristão” (1).

É muito fácil falar, escrever e encenar sobre Jesus, difícil é viver Jesus e sua doutrina.

O grande pintor italiano Fra Angélico dizia: “Para pintar o Cristo, é preciso viver com Cristo”.

Sabendo da ignorância e de uma verdadeira relação com Jesus Cristo, o Papa Bento XVI lançou o livro: “Jesus de Nazaré”.

“Porque me pareceu, sobretudo urgente apresentar a figura e a mensagem de Jesus no seu ministério e, assim, ajudar no crescimento de uma relação viva com Ele”, afirma Bento XVI (2). 

PROVAS DOCUMENTAIS

Jesus dentro do judaísmo resgata o Jesus histórico a partir de documentos como os pseudo-epígrafos do Velho Testamento; os códices do Nag Hammadi, encontrados no Alto Egito em 1945; os Manuscritos do Mar Morto, descobertos em 1947; um manuscrito árabe com a versão do célebre historiador Flávio Josefo (37-100) sobre Jesus; e recentes escavações arqueológicas na Palestina.

“Essas tradições permitem conhecer mais sobre Jesus do que qualquer judeu do primeiro século, com a possível exceção de Filo, Paulo e Josefo”, afirma o renomado pesquisador James H. Charlesworth, professor de língua e literatura do Novo Testamento da Universidade de Princeton nos Estados Unidos (3).

“Por essa época apareceu Jesus, homem sábio (…) Ele realizou coisas maravilhosas, foi o mestre daqueles que recebem com júbilo a verdade (…) Por denúncia dos príncipes da nossa nação, Pilatos condenou-o ao suplício da Cruz, mas os seus fiéis não renunciaram ao amor por Ele (…) Ainda hoje subsiste o grupo que, por sua causa, recebeu o nome de cristãos”, Em Antiguidades Judaicas de Flávio Josefo, que era fariseu escritor insigne e cidadão romano.

Outro exemplo de uma descoberta que confirma a historicidade de alguém mencionado na Bíblia é fornecido por Michael J. Howard, que trabalhou junto com a expedição a Cesaréia, em Israel, em 1979. “Por 1.900 anos”, escreveu, “Pilatos só existia nas páginas dos Evangelhos e nas vagas lembranças dos historiadores romanos e judeus. Quase nada se sabia sobre a vida dele. Alguns afirmavam que sequer existira. Mas, em 1961, uma expedição arqueológica italiana trabalhava nas ruínas de antigo teatro romano em Cesaréia. Um operário revirou uma pedra que tinha sido usada em uma das escadarias. No reverso havia a seguinte inscrição, parcialmente obscurecida em latim: ‘Caesariensibus Tiberium Pontius Pilatus Praefectus Iudaeae’. (Ao povo de Cesaréia, Tibério Pôncio Pilatos, Prefeito da Judéia.) Foi um golpe fatal nas dúvidas sobre a existência de Pilatos… Pela primeira vez havia evidência epigráfica contemporânea da vida do homem que ordenara a crucificação de Cristo.” (João 19, 13-16; Atos 4,27).

JESUS: O MAIOR DE TODOS

O que as pessoas famosas disseram sobre o maior homem da história: Jesus Cristo.

“Com todos os meus exércitos e generais, por um quarto de século não consegui subjugar nem um único continente. E esse Jesus, sem a força das armas, vence povos, e culturas por dois mil anos”. Napoleão Bonaparte - Imperador Francês

“Cristo é a maior força espiritual que o homem até hoje conheceu. Ele é o exemplo mais nobre de quem deseja dar tudo sem nada pedir. Vejo em Cristo o supremo modelo: manifestou, como nenhum espírito, a vontade de Deus. Ele pertence aos homens de todas as raças que conservam a fé dos antepassados. Ele é todo amor. O amor, seu supremo mandamento, é dirigido antes de tudo aos mais fracos, aos abandonados”.  Mahatima Gandhi - Estadista e Líder Espiritual da Índia

“Devemos supor que a história da vida de Jesus é mera ficção? Realmente, meu amigo, ela não parece ficção. Pelo contrário, a história de Sócrates, que ninguém ousa duvidar, não é tão bem documentada como é a de Jesus Cristo.” Jean-Jacques Rousseau Filósofo Francês

“Por trinta e cinco anos eu fui, no pleno sentido da palavra, niilista, um homem que não acreditava em nada. Comecei a ter fé cinco anos atrás. Acreditei na doutrina de Jesus Cristo e toda minha vida passou por uma transformação repentina.” Conde Leo Tolstoi - Romancista e Filósofo Russo

“Jesus de Nazaré… é sem dúvida o personagem que mais se destacou na história.” H. G. Wells - Historiador Inglês

“Cristo se destaca como … único e exclusivo entre todos os heróis da história.” - Philip Schaff - Teólogo e Historiador Suíço

“É preciso ter uma imaginação bastante fértil para dizer que a figura mais influente, não apenas nestes dois milênios, mas em toda a história humana, não tenha sido Jesus de Nazaré.” - Reynolds Price - Escritor e Erudito Bíblico Americano

O grande cientista alemão Albert Einstein disse: “Fico fascinado pela personalidade brilhante de Jesus de Nazaré”.

Realmente, Jesus Cristo é a pessoa mais influente que já viveu entre nós. É a personalidade mais colossal, genial e magnífica de todos os tempos. Ele é ínclito pela sua pessoa, magistral no ensino e eterna é a sua santa doutrina.

Jesus Cristo é o personagem mais poderoso, mais lido, mais encenado, mais retratado, mais citado em obras, suas obras de arte são as mais caras, é o que mais seguidores têm mais amado e adorado na história da humanidade.

Tudo relacionado à sua pessoa torna-se notável e erudito. As Sagradas Escrituras, a música, arte, jóias, paramentos, são alguns exemplos.

Monumentais são os templos onde Ele é louvado e cultuado. Opulência decorativa, artística e litúrgica para sua honra e adoração.

Tudo fica suntuoso conectado a sua pessoa e a sua obra. Ele é chamado de Mestre, Príncipe e Rei. Como pode tudo isso se Ele nasceu numa manjedoura, de família pobre, era carpinteiro, não era doutor, os poderosos e intelectuais não os viam com bons olhos e por fim, foi crucificado como malfeitor no meio de dois malfeitores?

“Eis que este menino foi colocado para a queda e para o soerguimento de muitos em Israel, e como um sinal de contradição”. (Lc 2,34).

A PERGUNTA QUE NÃO QUER CALAR

Quem é este a quem até os ventos e o mar obedece? (Mt 8,27).

Realmente, quem é Jesus?

Jesus é o Cristo, o Filho do Deus Vivo (Mt 16,16). É Deus (Mt 1,23; Jo 10,30. É o único Salvador do gênero humano (Lc 19,10; Jo 3,16; 18; At 4,12).

Jesus Cristo foi o único gerado por obra e graça do Divino Espírito Santo no ventre de uma virgem. O único que derramou sangue imaculado numa cruz para redimir a humanidade dos seus pecados. O único ressuscitado gloriosamente e vive reinando presente em nosso meio.

Jesus Cristo é único no amor incondicional ao miserável pecador.

Jesus Cristo é único na paz, no amor, na justiça e na perfeição completa de seu projeto.

Seu projeto é o Reino de Deus, reino de vida e da salvação eterna. Tudo em sua vida parte do fundamento da verdade que liberta o ser humano de todo esquema e sistema de escravidão.

Conhecer Jesus é conhecer a sua obra em prol da nossa vida. Tal conhecimento está acima de tudo e de todos. Este é o conhecimento único de salvação eterna (Cf Jo 17,3; 2 Pd 3,18).

Por esse conhecimento podemos dizer: que tudo em nós pertence a Jesus Cristo. “Porque tudo é dele, por ele e para ele. A ele a glória pelos séculos! Amém” (Rm 11,36).

“Somos justificados pela fé e pelo seu precioso sangue” (Rm 5,1.9). “A nossa fé esta confirmada e apoiada em sua pessoa” (Cl 2,6.7). “Sem Jesus, nada podemos fazer” (Jo 15,5).

São Paulo Apóstolo expressa o seu tudo para Cristo desta forma: “Mas o que era para mim lucro eu o tive como perda, por amor de Cristo. Mais ainda: tudo eu considero perda, pela excelência do conhecimento de Cristo Jesus, meu Senhor. Por ele, eu perdi tudo e tudo tenho como esterco, para ganhar a Cristo e ser achado nele, não tendo a justiça da Lei, mas a justiça que vem de Deus, apoiada na fé, para conhecê-lo, conhecer o poder da sua ressurreição e a participação nos seus sofrimentos, conformado-me com ele na sua morte”  (Fl 3,7-10).

Colossal foi o amor de Santa Teresinha do Menino Jesus ao seu Senhor e Mestre.

Santa Teresinha com seu amor profundo a Jesus, provoca, incentiva, exorta e passa para nós o amor indelével de Nosso Senhor Jesus Cristo.

Podemos ver a beleza do amor de Cristo estampado na linda e terna face de Santa Teresinha.

Podemos dizer que Santa Teresinha é a missionária do amor, pela sua missão, muitos encontram o amor de Cristo Salvador.

Seu lema era: “Amar a Jesus e fazer com que Ele seja amado por todos”.

Vejamos sua expressão de amor a Jesus de forma monumental que vale mais do que todos os diamantes do mundo:

“Minha vocação é o amor.
Que Jesus me dê
um amor sem limites.
A ciência do amor!
Não quero senão esta ciência,
porque eu não tenho nenhum
outro desejo, senão este:
Amar Jesus até a loucura!”.

CONCLUSÃO

Quem procura conhecer de tudo e não a Jesus, de tudo torna-se ignorante.

Tempo perdido, ouro jogado ao léu, vida desperdiçada, alma perturbada, vida sem futuro e sem paraíso, tudo isso é o resultado da boçalidade racional e materialista daqueles que vivem sem o saber e sem o viver em Cristo.

A vida só tem sentido e só é laureada quando o centro da nossa formação total é Jesus de Nazaré.

Laureal e lauta sempre será a nossa vida, quando ela se dispuser a caminhar na dimensão do amor de Cristo.

Tenhamos muito cuidado com o tempo: “O tempo escolhe você ou você escolhe o tempo”.

Excelente é você escolher o tempo ao lado de Jesus Cristo e não deixar o tempo escolher você para banalidade.

O ser humano deseja possuir muita coisa, e pouca coisa termina o possuindo como: o vício, o egoísmo, a ganância, a mentira e o ódio.

Aconselhável é a pessoa ser possuída pelo conhecimento da graça, do perdão, da caridade e da esperança de Jesus Salvador.

Tem gente que só aprende do pior jeito, e isso não é legal. Bom é aprender do melhor jeito na escola do Mestre Jesus.

A minha vida está alicerçada na doutrina de Jesus Cristo. A minha fé em Jesus é a minha felicidade e a minha certeza de vida eterna.

Aceito incondicionalmente Jesus como o maior Presente do amor de Deus.

Eu sei o que é a vida, o amor e porque Deus é amor, por causa do sacrifício do Cordeiro Imaculado.

Viver para o bom Deus e no Seu maior Presente, e na caridade do meu semelhante isso é saber quem é Jesus.

Pe. Inácio José do Vale
Pároco da Paróquia São Paulo Apóstolo
Professor de História da Igreja
Faculdade de Teologia de Volta Redonda
E-mail: pe.inaciojose.osbm@hotmail.com

NOTAS E BILBIOGRAFIAS
(1) Folha de São Paulo, 31/05/2007, p.2.
(2) Bento XVI, Papa. Jesus de Nazaré: Primeira Parte: do Batismo no Jordão à
Transfiguração. São Paulo: Editora Planeta do Brasil, 2007, p.19.
(3) Jornal do Brasil, 13/02/1993, p.4.
ROHDEN, Huberto. Organização Mahatma Gandhi- O Apóstolo da Não Violência, São Paulo: Editora Martin Claret, 2005.
LIETH, Norbert. Conheça Jesus: Único, Incomparável, Maravilhoso, Porto Alegre: Atual, 2000.
SANTA TERESINHA do Menino Jesus, História de Uma Alma, Manuscritos Autobiográficos, São Paulo: Paulus, 1996.
STRONG, Augustus H. Teologia Sistemática, São Paulo: Teológica, 2002.
CHARLESWORTH, James H. Jesus no Judaísmo, São Paulo: Imago,


Um comentário:

  1. Procurar a cada dia conhecer quem é Jesus e como é Ele para nós, essa é a grande tarefa da vida do cristão, que deve crescer a cada dia. Textos como esse nos ajudam muito, as descobertas históricas, o que santos e pessoas estudiosas já falaram, mas ... como eu vejo???

    ResponderExcluir